SEJA UM ASSOCIADO
É FÁCIL.
É ACESSÍVEL.
É AMIC.
mar
19

Sete formas de se prevenir contra o Coronavírus (COVID-19)

O COVID-19 (em inglês, coronavirus disease 2019), é um vírus que causa doença respiratória com quadros que podem variar de leves a graves. A infecção pelo vírus se assemelha a uma gripe, com sintomas como tosse seca, febre e dificuldade para respirar. Fazem parte do grupo de risco pessoas que já possuem outras doenças e idosos, que podem apresentar síndrome respiratória aguda grave e outras complicações. 

O contágio por Coronavírus (COVID-19) ocorre quando existe contato pessoal com alguém infectado, por meio da tosse ou espirro, em que o vírus pode ser transportado para outras superfícies por meio das mãos. Por isso é tão importante evitar levar as mãos à boca, nariz e olhos e higienizá-las corretamente com frequência.

 

Algumas formas de se prevenir são:


1. Lavar as mãos com água e sabão com frequência, pois o sabão, principalmente o de álcool, ajuda a eliminar o vírus. Você também pode higienizar todas as superfícies da sua casa e local de trabalho, assim como limpar tudo o que comprar em mercados e farmácias.


2. Utilize álcool em gel com frequência. Tenha sempre um frasco do produto com você, seja na bolsa, na mochila, no carro, na mesa de trabalho e até mesmo em casa. Sempre que tocar alguma maçaneta, torneira ou outras pessoas, utilize o álcool em gel nas mãos, pulsos e antebraço. Se você possui algum comércio, lembre-se de higienizar o balcão com frequência (para isso, você pode usar o álcool líquido) ou logo após a passagem de clientes pelo local.


3. Evite cumprimentar as pessoas com apertos de mãos, beijos e abraços, mesmo que seja um familiar que está em casa com você. É preciso respeitar a distância de segurança de 1 metro indicada pelos órgãos de saúde competentes. Troque o contato físico por acenos e sorrisos para que todos fiquem bem.


4. Ao tossir ou espirrar, cubra a boca com o braço e não com as mãos. Assim, você evita ainda mais o contágio não só do Coronavírus (COVID-19), como também de gripes e resfriados, que podem baixar a imunidade e deixar as pessoas ainda mais suscetíveis a uma contaminação. Tome cuidado para não levar as mãos à boca, nariz e olhos.


5. Evite aglomerações e não saia de casa se estiver doente, independentemente dos sintomas apresentados. Com a imunidade mais baixa, a contaminação é mais propensa de acontecer. Pessoas com outras doenças, como cardiopatas, assim como os idosos, estão no grupo de risco e podem desenvolver uma infecção mais severa pelo COVID-19.


6. Procure não viajar nos próximos dias, mesmo que para distâncias curtas e por pouco tempo de permanência no local. É imprescindível que todos permaneçam em seus lares enquanto a pandemia ainda não estiver controlada.


7. Compartilhe informação segura! Preste atenção à fonte da informação que chega até você, confira se está de acordo com o que os órgãos oficiais como Ministério da Saúde e OMS (Organização Mundial da Saúde) estão comunicando. Não compartilhe informação de fonte duvidosa ou desconhecida.


Se cada um fizer a sua parte, logo tudo voltará ao normal. É preciso um tempo de resguardo para parar a proliferação do vírus. 

 

Entenda a diferença entre quarentena e isolamento


Com o assunto em alta na mídia, é comum haver confusão de entendimento entre os termos. Uma breve explicação sobre cada um é:

 

Quarentena: período de resguardo necessário para as pessoas saudáveis, que não apresentam nenhum sintoma do contágio.

 

Isolamento: período de resguardo necessário para as pessoas que apresentam sintomas do novo Coronavírus (COVID-19), que estão em observação domiciliar e com suspeita de contágio.


Caso você apresente algum sintoma (tosse seca, febre, dificuldade para respirar, cansaço, fadiga e diarreia), ligue para o call center pelo telefone (45) 3096-9090 antes de comparecer a uma UBS (Unidade Básica de Saúde) ou UPA (Unidade de Pronto Atendimento). O call center funciona de segunda à segunda das 7h às 22h.