SEJA UM ASSOCIADO
É FÁCIL.
É ACESSÍVEL.
É AMIC.
abr
02

Governo reduz para zero IOF sobre operações de crédito

O governo decidiu nesta quarta (1) zerar a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre operações de crédito. O anúncio foi realizado pelo secretário da Receita Federal, José Tostes Neto.

Entretanto, essa redução do IOF terá um valor de 90 dias. Atualmente, o imposto é de 3% ao ano para as operações de crédito.

Tostes Neto salientou em coletiva de imprensa que a medida reduzirá o custo do crédito. Um dos objetivos do Executivo para tentar superar a crise provocada pela pandemia de coronavírus (covid-19). O custo da redução do IOF será de R$ 7 bilhões. Junto com essa medida, o governo está ampliando número de linhas de crédito com juros reduzidos para as empresas.

“Total desoneração do IOF que incide sobre as operações de crédito. O governo vai iniciar um amplo programa de linhas de crédito diferenciadas e especiais para atender às empresas, ao setor produtivo, com juros reduzidos”, salientou Tostes Neto.

Pis-Pasep e Cofins também terão mudanças 

Além da redução para zero do IOF, o governo também anunciou: 

O adiamento do recolhimento das contribuições para o Pis-Pasep; o adiamento do pagamento da Cofins; e o adiamento da contribuição patronal para a Previdência Social.

“Esse diferimento, o conjunto dessas quatro contribuições, representa nos dois meses, um valor estimado de R$ 80 bilhões, e também serão injetados no fluxo de caixas desse universo de empresas por conta desse diferimento”, salientou o secretário da Receita Federal.

Todas essas contribuições tinham que ser pagas nos meses de abril e maio. Entretanto, elas serão adiadas, e os pagamentos deverão ser realizados apenas nos meses de agosto e outubro.

Fonte: Suno Research. https://mla.bs/473e564f